sábado, 1 de julho de 2017

FRED.

Ninguém soube ao certo o que significou o que Fred tinha feito, se era um ato de loucura ou simplesmente um ato completamente imbecil. E muitos na cidade eram aqueles que diziam achar Fred um completo imbecil.
Seu nome real não era Fred. Ele mesmo tinha se dado este nome retirado de algum filme de ficção científica que viu muitos anos antes.
Ele tinha saído da cidade há cerca de três ou quatro anos antes do que veio a acontecer. Tinha meio que fugido da humilhação de ter encontrado sua mulher com outro, ter brigado com o cara, perdido, levado uma surra no meio da rua, e ainda escutado da mulher que ele sustentava, que ela estava dando para outro porque o outro era melhor que ele na cama. Ele passou uns três dias bebendo, caindo no chão das ruas, depois pegou algumas coisas e saiu da cidade. Quase ninguém o viu indo embora, somente uns velhos que ficavam sentados o dia inteiro vendo a rua passar.
Fred passou um tempo fora, ninguém achava que ele seria capaz de voltar, mas depois de uns três anos voltou.
Meio mudado, parecia que estava meio mudado, diziam os mais velhos. Caminhava pela rua, conhecia tudo e todos, mas seu jeito de andar e olhar eram como se visse tudo pela primeira vez.
Acho que todos sabiam ao que ele tinha vindo. Mas acho que ninguém queria ou podia fazer alguma coisa.
Fred comprou uma arma por onde andou, e de volta à cidade foi atrás de sua ex-mulher. Ela já não estava mais com o cara que deu uma surra nele. Na verdade nem chegaram a ficar juntos pra valer depois que ele foi embora. Quando Fred voltou, ela vivia com um jogador de sinuca, que é claro, passava mais tempo nos bares do que em casa. Fred foi atrás dela e do antigo amante. Sacou sua arma e deu um tiro em cada cabeça.
O que Fred poderia ter feito depois disso era fugir da cidade de novo, e dessa vez para não voltar. Mas o que ele realmente fez, foi comprar uma garrafa de uísque, se embebedar, e sair andando pelas ruas e atirando para o alto.
Os policias não vieram para conversa, teve troca de bala e acertaram pelo menos umas dez no corpo de Fred.
Acho que ele queria isso. Acho que depois de matar a mulher e o amante dela, não tinha mais o que fazer ou algum lugar para ir.
Eu era pequeno quando isso aconteceu. Tinha uns dez anos. E lembro do meu avô indo me levar para ver o corpo de Fred sangrando na calçada em uma noite fria. Seus olhos sem luz, sem vida, fitando o vazio. 
20/09/2011 01:27- 01:44

Nenhum comentário: