quinta-feira, 23 de junho de 2016

SÓ O OURO.



Santigold não consegue cansar de si mesma. E nem eu consigo cansar de ouvi-la. Parece clichê pegando a música nova da cantora, e é, e também não é. Mas venho acompanhando o trabalho de Santi White dês de 2008, quando lançou seu primeiro disco, “Santogold”, e tanto esse quando seu sucessor “Master of Make -Believe” foram trilha sonora de meus dias por muito tempo. A moça dês de lá sempre veio mandando músicas boas misturando indie, dub com hip-hop. Neste “99¢ lançado este ano, Santigold veio com talvez o trabalho mais pop de sua carreira, e o disco tá bom ó, muita música para dançar e ainda umas mais melancólicas com aquela sensação de nostalgia que a moça sabe fazer bem. Na música que abre o disco e que virou um vídeo interativo, Santi canta que é sua maior fã, tem investido em si mesma e que tudo que quer fazer é o que ela sabe fazer de melhor. Pra mim, a senhorita Gold tem feito boas músicas dês de seu começo. Talvez ainda falte despontar prum público maior, talvez esteja bom do jeito que tá, a qualidade do som é o que importa, e isso dela tá legal. Santigold vem usando a internet pra divulgar o trabalho novo, no tumblr da moça você pode participar do vídeo deste disco novo.


quinta-feira, 9 de junho de 2016

O DIA ENTRE OS FIOS DO TELEFONE

Pessoas andam pelas ruas de olhos fechados
Com puro sonambulismo,
 E com seus carros de fibra cega como armas

A música toca alto no rádio do vizinho,
É sobre amor e outras tristezas
Sem preocupações com o futuro
Ou com homens que sentem fome.

Folhas caídas queimam em pleno meio dia
Misturando-se ao lixo
O gari reclama;
“Que sujeira essa cidade!”
E agradece calado pelo emprego.

Generais sentados em cadeiras acolchoadas
Em salões gigantes com ar refrigerado
Conversam sobre o tédio dos tempos,
Então se põem a discutir,
Planejam a destruição de um país ou dois
Para matar o tempo, a gente, o tédio.

O dia passa

Entre os fios de meu telefone.