terça-feira, 31 de dezembro de 2013

2013.


Não que tenha sido por completo, só foi complicado e cansativo em muitas partes, como todo ano é. Repleto de viradas, sensações e sentimentos. Acho que se tivesse que usar uma palavra para esse ano, seria "mudança". Esse ano realmente tive que sair da área de conforto e mudar muitas coisas em minha vida. E mudanças são sempre difíceis e lentas. Para um cara como eu que demoro muito a me adaptar a tudo, tudo é muito lento. Mas assim as coisas vão seguindo. Sair de minha área de conforto e me arriscar mais do que o normal. E ainda existe tanto para fazer, tanto para mudar. De toda forma, uma boa passagem de ano para você que ainda dá uma chegada nesse espaço aqui, e se acreditar em ano novo; Felicidades.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

ELISA LAM - REALLY CREEPY STUFF.



Acho que sou uma pessoa que me impressiono bem rápido com as coisas. Histórias assustadoras e coisas e tal. Gosto bastante de filmes de terror, os bons. Acho que é o tipo de filme que tenho mais visto e tido mais vontade de ver nos últimos tempos. As pessoas me perguntam se eu me assusto quando vejo um bom filme de terror. Não, nunca. Mas quando o lance mexe com o real, ai sim, me impressiono. Esse vídeo acima quase me deixou sem dormir a uns dois dias atrás. Essa garota, Elisa Lam, foi encontrada morta num grande tanque de água de um hotel em Los Angeles em fevereirodeste ano. Essa filmagem do elevador foi feita algumas horas antes dela morrer. Elisa aparece com um comportamento completamente estranho, psicótico, se escondendo e falando com o vazio. Ela tinha 21 anos, e era estudante. A polícia local deu como morte acidental e a autópsia acabou mostrando que não existia traços de drogas ou álcool em Elisa. Eu vi o vídeo e pesquisei sobre a morte da garota, e quase não durmo nessa noite depois de ter visto essa cena. Por que fiquei assim ao ver esse vídeo silencioso? Não sei. Só achei assustador pra caralho. 

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

ÁGUAS

Começa a chover,
Nos vidros das janelas
Pingos suicidas se encontram
E a cidade surge dentro de um precipício
Perante o edifício onde moro.

Sinto sede.
Minha filha acorda com o som dos trovões
E diz ter sonhado com escorpiões a lhe ferir a pele.
Tendo acalmá-la
Mas, ela mais branda que eu volta a dormir.

Vejo uma nuvem cinza claro
Pairando feito pedra no céu da sala
Sinto medo de um dilúvio.

Minha mulher vaga branca na sala do apartamento
Me pede que eu volte para a cama,
Me pede amor,
Sinto suas águas
E a sensação de que entro em uma tempestade
Me chega.
Seu hálito me move, me leva.
Começa a chover dentro do apartamento.

01/06/2008 03:00

segunda-feira, 30 de setembro de 2013

A FLORESTA DO SUICÍDIO.



Já tinha ouvido falar da  Floresta de Aokigahara no mangá Delivery Corpse Service escrito por Eiji Otsuka (único mangá que já li, e que nem tenho mais), mas nunca fui pesquisar e acabei pensando que seria algo usado só no universo da história. Nesse documentário curto, um "patrulheiro" da floresta caminha por ela contando histórias e encontrando corpos, mensagens de suicidas e até mesmo mesmo um homem que acampava no local, provavelmente se decidindo se iria morrer ali ou não. Dizem que a floresta se tornou o local mais procurado para suicídios no Japão após o romance "O Negro Mar de Árvores" de Kuroi Jukai em que um jovem se mata na floresta.

terça-feira, 24 de setembro de 2013

EU NÃO TE AMO MAIS, FORTALEZA.


Dia desses estava conversando com a Fernanda Abud, que mora em Salvador, cidade que ainda não conheço. Estávamos conversando sobre a cidade onde Fernanda mora e após eu perguntar o que ela gostava de lá, ela respondeu que quase nada, que na verdade detestava morar ali. Respondi que entendia como ela se sentia. Vivo em Fortaleza dês do dia de meu nascimento. Nasci e fui mal criado aqui, e sempre esta cidade me serviu de muitas maneiras boas. Em muitas ocasiões pensando em como seria sair daqui, me chegava a sensação de que nenhum outro lugar me vestiria como estas ruas. Vivi 27 anos de minha vida gostando de morar em Fortaleza. Mas agora, já não gosto mais.

Talvez seja esse calor que nunca passa, nunca melhora. Essa cidade que não esfria de jeito nenhum. Que nem em dia de chuva fica mais frio, e sim abafado. Você abre a porta de casa e sente aquele tempo parado, sem vento, e sai de casa com a sensação das ruas em estado abafado. Esse sol que nasce todo dia sem dó, queimando tudo, calor maltratando. Talvez seja esse calor humano cearense que não passa nunca.

E essas pessoas. As pessoas fakes dessa cidade. Os intelectuais, os cults, pessoas inteligentes pra todo momento e situação com opiniões sempre bem pensadas de quem passam muito tempo em casa, raciocinando pra conversas futuras em bares, ou postagens em twitters e facebugs. Existe muito ócio, muito tédio nas pessoas dessa cidade. Fortaleza é uma cidade tediosa. Não se tem o que fazer aqui, não se tem aonde ir. O novo bar é o novo lugar do momento para se conhecer e se morar nos fins de semana até a exaustão. Até que o lugar já não seja mais novidade, até que já tenha ido com todos os amigos, paqueras, ficantes, namorados.

São essas pessoas tediosas que essa cidade alimenta. E mais do que entediadas, é muita gente carente. Você cruza diariamente com rostos tristes implorando amor. Você caminha nas ruas e as pessoas parecem bichinhos pedindo amor, você se conecta em redes sociais e as pessoas parecem cachorrinhos pedindo amor e atenção, reclamando de solidão e tédio, tristeza e agonia, se convidando para eventos, qualquer um que seja, não importa, só me tire de casa, do meu tédio, da minha vida, e me leve para passear em algum lugar, qualquer lugar no qual eu nunca mais possa voltar.

São os artistas desvalorizados. São os músicos que estão criando bandas, pensando em discos, shows, que só serão escutados e vistos pelos amigos. E caso a pessoa não tenha muitos amigos nessa cidade, não será visto por muitos mais. Toda arte criada nessa cidade, parece morrer nessa cidade.

São os transportes coletivos demorados e lotados de calor humano que eu nunca quero ter por perto, com motoristas que simplesmente não param quando você acena dando sinal de parada porque estão com medo de assaltos nos coletivos. É essa cidade pintada com desigualdade. Esse país. E pra onde você vai é o medo companhando, de ser assaltado, morto, por causa de um celular, uma carteira vazia.

Vejo gringos andando nas praias de Fortaleza, comendo nos restaurantes carros de Fortaleza, e me pergunto; por qual razão essas pessoas escolheram vir pra esse lugar quente e feio feito o inferno?

É Fortaleza, convivi bem com o teu calor, com as pessoas que vivem em ti por 27 anos de minha vida. Mas hoje, eu só consigo pensar que; Fortaleza, eu não te amo mais, nem te quero mais. E nem tenho ainda outro lugar aonde ir.



sábado, 31 de agosto de 2013

WHAT IS YO LA TENGO?



"Ohm", é a música de abertura de"Fade", disco mais recente, lançado esse ano do Yo La Tengo. Vídeo viajado e muito bom, de um disco também muito bom dessa banda importante da indie rock.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

INFIERNO.



"O Emprego" é um curta dirigido por Santiago Bou Grasso falando sobre o inferno nosso de todos os dias.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

BNB GANHA NOVA SEDE.

Recebi ontem esse link com uma notícia legal, para amenizar o post passado.
_____

Centro Cultural do Banco do Nordeste ganha nova sede


Após nove meses de indefinição, o Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB) volta a ter uma sede: o prédio onde hoje funciona o Centro de Referência do Professor, na rua Conde D’Eu, nº 560, no centro. A concessão de uso do espaço foi publicada no Diário Oficial do Município do dia 28 de junho, divulgado ontem. Por meio da Lei nº 10.072, a Prefeitura cedeu o prédio à instituição bancária durante 20 anos, prorrogáveis pelo mesmo período. De acordo com a publicação, o prédio público está avaliado em R$ 5,5 mi.

O projeto de lei tramitava na Câmara Municipal desde 6 de dezembro do ano passado, quando foi enviado pela ex-prefeita Luizianne Lins. Dias depois, o vereador Elpídio Nogueira (PSB) pediu vistas ao projeto, que só foi aprovado agora.
A assessoria de imprensa da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor) informou que, em contra-partida, o Banco do Nordeste irá manter as atividades da Galeria Antônio Bandeira, que funciona no prédio, em parceria com a pasta, numa gestão compartilhada. Ainda em fase de negociação, conforme a superintendente de marketing e comunicação do Banco, Melina Barbosa, a programação do Centro de Difusão Sociocultural, no Mercado Público do bairro Bela Vista, também deve ser dividida entre o órgão da Prefeitura e o BNB.
Ainda segundo a Secultfor, o contrato entre Prefeitura e BNB será firmado no dia 18 de julho. “Esperamos que até o final do mês ou começo de agosto”, confirmou Melina.
Ocupação
De acordo com a superintendente do BNB, o Centro Cultural só pode ocupar o prédio depois de assinado o contrato. Enquanto isso, a equipe do banco trabalha no projeto de ocupação para migrar todas as atividades do CCBNB para o espaço o mais breve possível. Melina pontuou que ainda será necessário fazer alguns melhoramentos no prédio, respeitando sua estrutura. 
 “O objetivo é disponibilizar um lugar amplo, com as melhores condições e voltar a oferecer a programação cultural como a gente sempre fez. Estamos trabalhando celeremente”, afirmou Melina.
Enquanto o centro cultural não migra para a nova sede, as atividades continuam acontecendo nos espaços que têm parceria com o BNB, a exemplo da Vila das Artes, do Cuca Che Guevara, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, citou a superintendente. (Raphaelle Batista - raphaellebatista@opovo.com.br)

quarta-feira, 10 de julho de 2013

EU GOSTO MAIS DE LIVROS DO QUE PESSOAS.

E a notícia mais triste e estranha da semana recebi ontem. O Centro Cultural BNB vai fechar as portas. Antes, o que seria só uma mudança de prédio, agora parece que realmente o centro irá fechar. A biblioteca já está neste processo, ainda aberta essa semana até sábado apenas para devoluções, e depois, fechada sem data para abrir, e se é que vai reabrir. Perder um centro cultural nessa cidade pobre em que vivemos é uma violência gigantesca, o fechamento de uma biblioteca nessa cidade nossa tão pobre de boas bibliotecas é algo descomunal. Não saberia ao certo dizer quantas coisas descobri através do BNB, quantas bandas que vi e descobri lá em shows, peças assistidas e livros pegos na biblioteca, novos autores descobertos naquelas estantes. E agora, fechado. Os participantes do Clube do Leitor querem fazer um tipo de manifestação próximo sábado em frente ao prédio do BNB, uma manifestação com livros e leituras na praça reivindicando o fechamento da biblioteca. Então, pra rapeize que tá querendo movimentar a cidade, seria interessante aparecer por lá próximo sábado as 15 horas. Também está circulando lá um abaixo assinado contra o fechamento do centro. Perder um espaço como aquele nessa cidade é como perder um amigo.

terça-feira, 9 de julho de 2013

sexta-feira, 28 de junho de 2013

BAGBOY.



Depois da triste notícia que saiu à mais ou menos um mês atrás que Kim Deal estava deixando mais uma vez o Pixies, saiu agora o vídeo de "Bagboy", música que quebra 9 anos sem inéditas da banda. "Bagboy" foi gravada no outono passado e solta por agora. Conta-se que Black Francis à escreveu enquanto estava em um Starbucks, provavelmente tomando um café. Na canção ainda consta com a bela voz de Kim fazendo um vocal bem ao seu estilo.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

SPITTING






E a minha obsessão com bocas, línguas e saliva me levou ao trabalho de Julia Randall. A série de desenhos intitulada "Lick Line" são de 200 e 2004 e parecem que foram feitos e coloridos com lápis.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

NOTA.

É ótimo ver todas essas manifestações acontecendo pelo país. O Brasil sendo um lugar com tanta gente acomodada, preguiçosa e sem visão política, é muito bom ver pessoas se levantando, pensando em coisas para mudar, saindo de casa para reivindicar por algo. Espero que os jovens que estão fazendo isso, indo para as manifestações, realmente saibam pelo que estão lutando, reivindicando. Espero mesmo que as pessoas que saíram de casa ontem para tentar chegar perto do castelão reivindicando contra os grandes gastos na copa enquanto a cidade respira com dificuldade diante de tantos problemas maiores, saibam mesmo pelo que saíram de casa. Espero que os jovens que saíram de casa ontem não tenham ido apenas para encontrar com os amigos, pensando na cerveja que iriam tomar depois, ou durante o ato. Espero que os jovens que saíram de casa ontem não tenham ido apenas para tirar fotos e postar nas redes sociais com a hastag #EuFui e que não tenham ido apenas pela aventura que seria participar de uma manifestação, e correr da policia com medo de  borrachada nos couros. Mesmo que sabemos que uma grande parte foi por estes motivos. Espero que as pessoas estejam com uma visão diferente do mundo, da política, de nossa cidade, do nosso país. Que estejam mesmo sabendo pelo que estão lutando.

domingo, 16 de junho de 2013

É VOYEUR.



Foi lançado hoje o primeiro clipe da minha banda predileta de Hellcife; Voyeur. "Little Mamma" que já tive o prazer diversas vezes de ver ao vivo sendo tacada o fogo, faz parte do vinil da banda, assim como a bolachinha Ep, diga-se de passagem que tenho os dois descansando na minha prateleira. O roteiro e direção do vídeo ficaram por conta de Luis Vitor e a produção pela própria banda.     

terça-feira, 4 de junho de 2013

NADAS.

Tecido Penumbroso

Como posso sofrer porque as coisas pararam? Elas andavam tão estouvadas! Por que não deixá-las dormir agora um pouco? Tudo se aquietou, é noite, o mundo vive por dentro, cegando-se ao sol do sonho. Preciso um pouco desse conteúdo inóspito, ermo como um quase-nada. Não, não é a morte, é uma espécie de lacuna essencial, sem a aparência eterna do mármore ou, por outro lado, sem as inscrições carcomidas. Pode-se respirar também na contravida. Depois então agente volta para o velho ritmo; aí já não nos reconhecemos ao espelho explícito, tamanha a qualidade desse tecido penumbroso que provamos.

João Gilberto Noll

quarta-feira, 1 de maio de 2013

DO NOT ABANDON ME.







Algumas pinturas de “Do Not Abandon Metrabalho de Louise Bourgeois e Tracey Emin feitos no período de 2009 e 2010.

sexta-feira, 19 de abril de 2013

LUST FOR LIFE.


-Um tempo atrás Iggy lançou um disco novo.
-Esse não ouvi ainda. É bom?
-Eu gostei.
-Sonzeira pesada? Só espero sujeira dele.
-Que nada, o contrário. Baixei o disco esperando isso também. Daí dei o play e me surge um Iggy Pop calmo, tranquilo, cantando canções em violão dedilhado, violino, um folk bem feito e comportado, em algumas canções ele canta um jazz. Saca, Iggy Pop like a Sir. Totalmente diferente daquele cara loquera que gritava “Eu quero ser seu cachorro!” nos anos 60.
-Porra cara, isso eu não imaginaria mesmo.
-Pois é, achei muito curioso. Então... Mudanças, vê.
-Sim. E o disco, tá bom mesmo?
-Gostei.
-Esses caras são foda, eles sabem realmente como fazer um som. O tempo só os melhora.
-Experiência.
-É, experiência. Eles usam isso a favor. Aprendem a não cometer os mesmos erros, eu acho.
-Totalmente diferente de caras como nós.
-É, isso é verdade.

Estava relendo esse diálogo de uma “peça” que comecei a escrever um tempão atrás, e que nunca concluí. Esses dois caras conversavam sobre musica, nomes fodas da música que ainda estão mandando um som, e sobre mudanças na vida. Acho que fiquei meio inspirado por reler este diálogo e resolvi criar uma nova playlist lá no Groveshark só com músicas do velho e bom Iggy Pop. Esse cara tão cheio de tesão pela vida, tão cheio de tesão pela música, e que soube mostrar isso sempre criando boas canções, bons punk rocks, e agora até folk tem mandado. Mudanças.  Então coloquei 10 músicas que estão longe de representar tudo o que o cara criou, mas que pelo menos podem te trazer alguma diversão. Escuta.


sexta-feira, 5 de abril de 2013

ESCREVENDO.



Não tenho dormido bem nesses últimos tempos. Na verdade não durmo bem dês do dia em que nasci. Dês de criança, povoado com essa sensação de sono durante o dia, e nenhum dele a noite. É desgastante, e tenho que conviver com isso. Há duas semanas resolvi usar essa falta de sono noturna, essa dificuldade para dormir, para escrever um livro. Eu tive um sonho, quando uma madrugada consegui dormir, e somente na outra noite consegui lembrar algumas coisas, pensar a respeito. Então acordei no outro dia com essa ideia de escrever um livro. Original não? Já pensou em quantas pessoas estão escrevendo livros nesse exato momento? E quanto à literatura realmente precisa, desses novos livros, novos escritores? É bom pensar nisso um pouco, talvez. Tanto faz. Então fiquei com essa ideia  e resolvi trabalhar nos contos que venho escrevendo de 2005 até agora. Passei duas semanas praticamente nisso. Todo tempo livre, toda noite sem sono, deitava e trabalhava neles, escrevia o livro que já estava escrito, na verdade. E foi bonito vê-lo tomando uma forma. Como um ser que você vai modelando com as mãos, que aos poucos vai se mostrando para você. Ainda não tem título, e não sei quando terá. Nem muito menos sei se será publicado. Digo, se enviarei para alguma editora procurando publicação. Eu mesmo não sou muito desse negócio de ser publicado. A literatura está apinhada de novos livros, e a cada novo livro que leio de um novo escritor, um estreante, fico me perguntando se aquilo deveria realmente ter sido publicado, se aquilo valia mesmo à pena. Acho que tem que se pensar nisso um pouco. Talvez, sei lá. Tanto faz. Meu lance mesmo foi deitar e escrever, trabalhar nos contos escritos nestes tempos. Pra mim o lance é sempre poder escrever, escrever é que é o bom. Provavelmente este livro, ficará guardado, junto com um de poemas que escrevi, e está lá, já faz muito tempo. Estou afim mesmo é de jogar na mão de uns amigos, passar para uns colegas que gostam de ler. Estou afim mesmo é de jogar esse livro pra download na internet, e quem quiser ler, poder ler, sem pagar um tostão. Isso é legal. Talvez faça. Talvez.

quarta-feira, 27 de março de 2013

Realistic Acrylic Body Painting.

Recentemente tenho prestado muita atenção em artistas, pintores, que trabalham com a realidade de uma forma instigante, sempre mexendo entre realidade e ficção, duas coisas que provavelmente não vivem uma sem a outra. Nesse prestar atenção, me deparei à alguns meses com o trabalho de Alexa Meade, uma jovem de 25 anos, que cresceu em Washington DC que trabalha com sua arte entre a pintura, a fotografia, performance e instalação. Segue abaixo 4 fotos/pinturas de Alexa Meade.





terça-feira, 12 de março de 2013

O SORRISO DE LEONARDO.

[olá,


pequena publicação com 11 poesias, meu primeiro livro revisado no site
ISSUU
= O Sorriso de Leonardo =

publicado em 2004 em edição de bolso - kafka edições baratas - 150 exemplares,
reeditado na coleção de livros artesanais do meu projeto 21 gramas, publicado hoje
no formato e-book



ótima semana e saudações poéticas]
______

Acabei de receber esse e-mail da senhorita Bárbara Lia. E é claro que fico mais que agradecido por receber um livro dela de poesias, um presente, uma magica em palavras para melhorar essa dura semana que ainda está no começo. Divido com vocês também esse presente.

quarta-feira, 6 de março de 2013

ALGUMAS REALIDADES DE NICHOLAS.









8 Fotos do jovem fotógrafo Nicholas Scarpino, que ao seu modo, e de maneira muito bela, brinca com a realidade e a ficção. Site do rapaz, e tumblr do rapaz.

domingo, 24 de fevereiro de 2013

OS DOIS.



Acho que o Interpol estava para lançar o quarto disco quando saiu a notícia que Paul Banks iria lançar um disco solo. Não sei se realmente era nessa época exata ou eu que só vim descobrir nessa época. O disco saiu mesmo, e até hoje não entendi porque Banks assinou como Julian Plenti. Tentativa de criar um alter ego, um pseudônimo desvinculando-se totalmente da banda ou qualquer outra coisa? Seria difícil por completo, a voz de Banks que tanto inicialmente foi comparada a Ian Curtis, firmou seu espaço, ficou na músca indie dos anos 2000 sendo difícil não escutar e dizer; É o vocalista do Interpol. De toda forma, Julian Plenti is... Skycraper lançado em agosto de 2009 mostrou mais uma face de Banks. Dessa vez como Plenti, continuou cantando músicas soturnas, melancólicas com riffes de guitarra marcantes, abrindo espaço para canções dedilhadas em violão melódico. Uma das boas músicas do disco foi “Games for Days”, onde no clipe Banks/Plenti contracena com Emily Haines, sempre provocante da maneira certa. O clipe talvez mostre de forma também misteriosa essa dualidade que o vocalista gostaria de passar. Pra quem ainda não ouviu e quer, aqui um link para download em torrent.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

O PRIMEIRO.



O Primeiro.
Caminhava lento por ruas da cidade. Um cigarro na boca. Perto das 5 horas. Já não tinha um sol tão forte acima de minha cabeça. Caminhava despreocupado, atento, por ruas sujas, os pés quase pisando em poças d´água, lama, sujeira nos cantos das calçadas, frutas podres jogadas. Cheiro de mijo. Algumas ruas dessa cidade fedem a mijo e a merda. Em algumas o cheiro é mais forte. Nesta onde caminho é mais fraco. Ainda assim dá pra sentir.
Mais um quarteirão, e então passo em frente a uma igreja que nunca entrei. Curioso pensar nos vários lugares nesta cidade formiga formigueiro onde nunca pus os pés. Faço o sinal da cruz e atravesso a rua. A pista molhada e hoje sequer choveu. Cidade suja, calçadas sujas. Dobro a esquina, avisto a casa, agora mais próxima, dou uma última tragada no cigarro, a fumaça sobe transformando-se em nuvem, nevoeiro sobre os olhos. Jogo a ponta do cigarro no chão. Cidade suja.
Atravesso a rua, olho pros lados, não vem carro. Estranho as ruas estarem tão vazias em plena sexta-feira, agora 5 da tarde. Os pés tocam a calçada, o coração dentro do peito dá um soluço. Aproximo do portão de ferro quadriculado com pintura branca descascando. Lá dentro uma mulher me vê e vem abrir o portão. Passos arrastando chinela. Um sorriso sem vontade. Vai abrindo pra que eu entre.
-A Sara está? Pergunto.
-Tá sim, lá dentro. Entra e espera, já vou chamar. Responde com voz despreocupada.
Ela se retira e segue em um corredor. A sala não muito grande. Uma TV no canto, dois sofás formando um L, uma mulher sentada no sofá de dois lugares com as pernas trepadas em um banquinho, bebe cerveja e assiste TV, me olha e depois volta pra TV. Não demora muito e dos fundos da casa a outra volta arrastando as chinelas.
-Ela já tá vindo. Pode sentar aí, quer uma cerveja? Fala sem olhar para mim.
Respondo que não com a cabeça sem saber se ela viu ou não. Já tinha bebido e hoje meu dinheiro tá curto. Sento no sofá de 3 lugares. A mulher senta do lado da outra que bebe cerveja e vê TV. Senta do lado dela e puxa uma serrinha do canto do sofá, e então começa a passar nas unhas.
Não foi difícil encontrar o lugar, já conhecia a rua, conhecia a casa de vista. Nova moradia de Sara.
Dos fundos da casa ela surge com seu andar mole, um tipo de desfile. Me olha de longe e sorri. Eu levanto quando ela se aproxima. Sorriso em seu rosto.
-Vêio cedo, amor. - Ela fala.
Dou um sorriso pra ela.
É que queria ser o primeiro.
08/07/07 03:40

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

O VENTO.



Acabei de ver esse curta via companheiro Ismael Angelus, que felizmente lembrou de me passar o link. Paperman é uma daquelas animações bonitinhas demais. Dirigida por John Kahrs, vai falar sobre destino. Compartilho com vocês.

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

COMO VOCÊ QUER MORRER?

Ó aí esse videozinho bonitinho e engraçado que o metrô da Austrália criou como campanha para diminuir o número de pessoas mortas em acidentes de trem.


quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

TERREMOTOS.



A terra deu para tremer por estas bandas
Abismos que te dilaceram o ventre.
Eu recrio teu passado com minhas mãos
E sinto o presente ser desenrolado aos poucos
Como se fosse uma criança brincando.
Teus olhos a mim pertencem
E o sol os torna mais claros,
Um branco tipo Floco de neve sobre tua retina
Apresentam um começo de cegueira.
A terra treme mais uma vez
E de teu ventre
A alma de uma criança
É abortada para o lado de fora.

25/05/2008 21:20