sexta-feira, 20 de julho de 2012

UMA ESTRELA.


Uma estrela flutuou e entrou pela persiana aberta de minha janela. Uma estrela branca, um floco de neve. Mas como um floco de neve poderia aparecer a essa época do ano, se estamos em pleno verão? Não sei, talvez seja só a madrugada.

Existem tantas coisas que ainda não sei, tantas coisas que estou longe de entender. Levando em conta minha idade já deveria saber de muitas coisas, entende-las melhor. Mas não, passo por essa vida sem dela retirar muitos ensinamentos. O tempo não para, e eu parada no ar sem saber aonde ir.

Semana passada encontrei com um antigo amigo de colégio. Quanto tempo fazia? Sete, treze, noventa anos que tudo tinha passado? . Nem me lembro direito desse tempo. Todos tão juntos, promessas que o tempo não nos separaria, a turma que sempre estaria unida.

O tempo passou e o que aconteceu? Encontro com um ou outro em ocasiões extremamente separadas. Sorrisos, às vezes uma cerveja, um sorvete, uma conversa. Engraçado, sempre algo frio. O tempo passa e leva com ele pedaços de nós.

Meu amigo me disse que estava bem, trabalhando muito, falta de tempo sempre presente, mulher, filhos, casa na praia. – “Qualquer dia apareça, vamos reunir a velha turma! O que anda fazendo?” - O que ando fazendo?! Reunir a velha turma?! – “Vamos marcar um próximo encontro, te apresento meus filhos, minha esposa.” – Provavelmente nunca mais nos veremos, ou quando nos esbarrarmos novamente o tempo terá me levado de sua memória para um já não reconhecimento. O tempo carrega pedaços da alma, espelhos do que se foi.

Acendo um cigarro, sentada na cadeira olhando para a janela com as persianas abertas. Uma lágrima escorre de um olho, não consigo segurar a melancolia. Lentamente outro floco de neve entra por um das persianas abertas, vem flutuando até cair na palma de minha mão. Branco, brilhante, quente. Seria mesmo uma estrela?



28/06/06 – 06:00

segunda-feira, 9 de julho de 2012

CINEMA DO CIARÁ.


Tinha recebido por e-mail, mas acabei de copiar lá do A Preço de Banana. E se a preguiça não for maior que tudo, vou dar uma conferida nessa mostra.

Mostra Recente Cinema Cearense, na Vila das Artes
No mês de julho, o Cineclube Vila das Artes apresenta a Mostra Recente Cinema Cearense, que exibirá obras realizadas nos dois últimos anos no estado. As exibições acontecerão sempre às quartas-feiras, a partir das 18h30, na Vila das Artes. A entrada é gratuita e ao final da exibição tem bate papo com realizadores ou pesquisadores convidados.


O cinema cearense tem se construído por realizadores de diversas trajetórias, alguns de fora, erradicados na cidade, e outros que já começaram dentro de espaços de formação mais recentes como a própria Vila das Artes, o Alpendre, e em cursos de graduação como os da Unifor e da Universidade Federal do Ceará.


Programação


Dia 11
Os Monstros - (2011 | Ficção)
Realizado por Guto Parente, Luiz Pretti, Pedro Diógenes e Ricardo Pretti


Dia 18
Epifânio (2012|Documentário realizado como trabalho de conclusão do curso de Realização em Audiovisual da Vila das Artes) Direção: Glaucia Barbosa
Roberto Cabeção (2011|Ficção– experimenta) Direção: Salomão Santana
É PROIBIDO PULAR (2012 | vídeo ensaio) Direção: Lucas Coelho
Ladyjane (2012 | vídeo ensaio)Direção: Samuel Brasileiro
Raimundo dos Queijos (2010|Documentário)Direção: Victor Furtado


Dia 25 
Charizard (2012 | Ficção)Direção: Leonardo Mouramateus
Elefante Invisível (2012 | Ficção realizadacomo trabalho de conclusão do curso de Realização em Audiovisual da Vila das Artes)Direção: Elisa Ratts
O Silêncio do Mundo (2010|Ficção) Direção: Bárbara Cariry
Não vá se Perder (2012 | Ficção) Direção: Vanessa Pinheiro
Jus (2012 | Documentário) Direção: Marcelo Dídimo