sexta-feira, 26 de novembro de 2010

ÂNGELA, A PENSADORA.

"Adorei o volume explodindo a sua calça. Imaginei-o todo dentro da minha boca."
"Bastou encontrar vc para eu ficar toda molhadinha."
Nesta noite quero que vc goze na minha boca."
"Vim sem calcinha para vc me comer onde e como quiser."
"Sonho acordada com vc me comendo de todo jeito."

Algumas das frases da boa pensadora Ângela biscate Bismarchi em seu Twitter @angbismarchi (sim companheiros, também me rendi a mais este passatempo internético). As frases da mulher bacharel em Design de Modas e com faculdade de Enfermagem no currículo, mas que resolveu levar e seguir a vida com os desfiles carnavalescos, nus, cirurgias e afins, e ainda encontra tempo para dar conselhos sexólogos via rede social.

Em um de seus Twittes recentes da noite passada Ângela diz:

Sexo saudável é sexo sem pornografia. Que vc faz por amor e com a pessoa que vc ama. Aquele em que vale de tudo e ninguém tem nada com isso! Sexo saudável é sexo com sensualidade e erótísmo. Sexo prnográfico é sexo explícito e cheio de vícios e deturpações, taras e desequilíbrios. Sexo casual sem compromisso é o que mais existe. É quando um ou outro não tem compromissos de amor em seus corações.

Bem, com algumas verdades à parte, fica meio na contramão para um cara como eu que só sou chegado a sexo pornográfico repleto de vícios e deturpações, e agora depois de ler estes relatos pensativos de Ângela, fico me perguntando se essa então é a fonte de todos os meus desequilíbrios em minha vida.


terça-feira, 23 de novembro de 2010

DAS COISAS BOAS.

Existem algumas coisas boas nesta vida para mim. Algumas pessoas (poucas), músicas, filmes e livros (muitos), chegar em casa e descobrir que existe uma carta esperando.

Mesmo com muitas preguiças nos dias atuais, ainda sou daqueles que gostam de fazer contatos via correio, escrever e receber cartas. A sensação de chegar em casa e descobrir que existe um envelope que alguém (e não de uma conta) te esperando, de alguém que doou algum tempo de sua vida para você, é algo é algo bom e raro nos dias de hoje. E tão bom quanto isso é chegar em casa e descobrir um envelope branco com 2 livros de poesia da escritora Bárbara Lia, como foi hoje.

Constelação de Ossos” é uma novela escrita em prosa poética que saiu em setembro deste ano e que teve um de seus lançamentos nesta sexta-feira passada. Como a geografia não me deixaria ir ao lançamento, o correio resolveu. E hoje "Constelação de Ossos" chegou aqui em casa, junto com “A Última Chuva”, livro de poesia de Bárbara.

Quem tiver interesse e for esperto para ter este livro com uma capa ótima em casa, escreva para Bárbara Lia em seu e-mail barbaralia@gmail.com . O livro custa 20 reais, e conversando você também recebe “A Última Chuva” de presente, assim como eu recebi.

Para quem quiser ler, Bárbara escreve sua poesia e prosa poética no blog Chá para as Borboletas.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

PROCURANDO EMO!


(Sinceramente, você não sente falta daquele tempo em que tirávamos fotos uma vez só, e que era para registrar uma ocasião e não para somente postar no Orkut?)

terça-feira, 16 de novembro de 2010

O QUARTO VERMELHO DE PATRÍCIA.

A Rosa Vermelha

Pela manhã cálida

Espalha-se um brilho,

Diria um cheiro,

Algo presente

E que não se vê.


Dentre todas as cores

Uma rosa Vermelha.

Fazendo do multicor

O incolor

E do incolor

Uma aquarela.

E vejo o nefasto

Virando inefável,

E todas outras coisas

Que por hora estavam inertes,

Adormecidas,

Apodrecendo

(de tão maduro),

Se transformando com uma rapidez...


A rosa brotando de dentro pra fora

E agora presente em quase tudo que vejo.

Aquele vermelho

Que por vezes

Me deixava tão escarlate

Agora dança dentro de mim,


Esse mesmo vermelho

Que assustava a menina

E que um dia foi rosado,

Mostra-se sem nenhum ímpeto ou pudor

Á quem deixar-se vê-lo,

Aos corações que carregam uma flor.


Uma rosa brotou!

E digo-lhes,

Ela dá a tudo uma cor

E quando fenece

Deixa-nos

Somente

O incolor

A desgracença do preto e branco.


Patrícia Lopes
____________

Saindo do forno agora, recebendo o link agora da primeira postagem o Blog O Quarto Vermelho de Patrícia Lopes, onde já se vê que a garota colocará seu poemas, crônicas, contos, prosas poéticas e tudo o mais que a escrita pode transformar em poética, ainda com promessa que em breve terá ensaios eróticos - (pra quem realmente gosta/compreende literatura erótica)- como ela mesmo disse.

Então é ficar de olho no Quarto Vermelho de Patrícia Lopes.


Patrícia Lopes em suas noites de boemia.

domingo, 14 de novembro de 2010

SOBRE IDÉIAS E ZINES.

Produzi fanzines durante uns 3 anos de minha vida. Tempo bom. Onde era possível brincar de ser editor, escritor, artista plástico. Fazendo experiências com papéis e poemas mal escritos. Durante 3 anos fui editor do “Prosa Prozac”, zine de poesia onde fazia umas experiências tanto na confecção, já que nunca fiz oficina sobre o assunto, então fazer cada zine, fazer cada página era um tipo de descoberta. Também existiam as experiências com os poemas, escritos muito às vezes somente para o zine, e sem ele, nunca chegariam a funcionar. Foram uns 3 anos como disse, um tempo bom onde tive a oportunidade de conhecer gente que fazia zines quanto gente que não. Os Zine-ses, evento que aconteciam sempre em um canto diferente da cidade e onde podíamos vender, comprar, trocar, repartir, dar aquilo que produzíamos, funcionava muito bem. Era um tempo também onde as pessoas conversavam por cartas. Esperava-se uma carta de algum conhecido ou desconhecido que leu o que você escreveu, e vinham com impressões, conversas para dividir. Um tempo legal. Então foi meio que esfriando, esfriando e eu fui perdendo o tesão de produzir fanzines. Criei blogs e dês de então só tenho escrito em páginas suspensas na internet. Tentei algumas vezes voltar a produzir algo em papel, mas somente esporadicamente.

Então que há meses atrás a idéia me voltou. Voltar a produzir um zine em papel. Claro, literário, mas não mais com os poemas e textos que escrevo, e sim de quem leio. A idéia surgiu na cabeça e me aparece quase diariamente. Então talvez seja hora de voltar.

A sensação de produzir um zine em papel é muito boa, trabalhar com papel, caneta, cola, durex, tesoura, fazendo colagens e escrevendo, é algo que dá certo trabalho, mas que não deixa de ser prazeroso. Então estou com essa idéia já faz um tempo, e estou tentando colocar em pratica. Já convidei escritores conhecidos meus e outros que leio na internet e já recebia até material, exemplo da Anna K Lima com sua prosa poética muito bela.

Não sei ainda como será o zine, em formato. Sei que provavelmente será tosco, com colagens. Quero chegar ao ponto onde lembre realmente fanzine, aqueles antigos que víamos nos anos 90 e que não são mais produzidos nos dias de hoje. Zines sobre bandas com colagens toscas e bom conteúdo. Sei que provavelmente será assim, mas o formato ainda não tenho definido. Sei que já deveria estar pensando muito nisso, mas como as outras experiências que tive no assunto, os zines quase falavam por si só e meio que tomam conta da situação, ficando prontos somente quando tem que ficar, e da forma que tem que ficar. Gosto disso.

Ainda levará um tempo para que mude de pensamento invisível para algo palpável. Mas não existe presa. Não existe ninguém esperando. Assim como este blog, é algo que farei mais para mim do que para um outro. E é claro que quando tiver pronto posto algo para algum interessado.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

ESPAÇO VERTIGEM.

Conferindo as sempre coisas boas que o fora da lei Bill Carson posta em seu blog Público e Privado, descobri que o cara também tem um blog de HQs. No Espaço Vertigem ele tem colocado para download links de HQs que não estão em circulação nas bancas, títulos que muito me agradam, como edições antigas de Hellblazer escritas por Jamie Delano, Hitman escrita por Garth Ennis e até mesmo edições de um outro fora da lei, o assassino Jonah Hex. E é claro que sou bem fã destes 3 títulos. Hellblazer com seu John Constantine é meu anti-herói predileto dos quadrinhos, sempre com seu lado caladão e irônico sacana sempre pronto para salvar outros de perigos quanto deixar qualquer um na mão para salvar o próprio rabo. E vendo as postagens antigas que Carson tem colocado em seu blog, me fizeram ir a meus arquivos no computador para reler estórias muito boas como as duas primeiras escritas por Delano, que são ótimas, lembrando filmes de terror antigo. Assim está sendo com Hitman, que conhecia pouco o personagem, mas agora estou tendo mais contado, e Jonah Hex, outro fora da lei que lia na antiga coleção que meu pai tinha aqui em casa. Então, para quem curte HQs como eu, e sempre está à procura de coisas novas e também estórias antigas, Espaço Vertigem pode ser boa pedida, e vale á pena ficar de olho que parece que outras boas coisas irão aparecer.

sábado, 6 de novembro de 2010

DAGO RED RESSUSCITA POETAS MORTOS.

Poucas coisas me dão tanto prazer quanto ver e ouvir o velho Rock and Roll, o barulho que uma banda pode ocasionar em um palco, a presença de espírito no palco, a vontade de tocar, o gosto pela música, pelo Rock. E ver a banda Dago Red em ação, é sempre me encontrar com tudo isso.

Me tirar de casa não é tarefa fácil, e somente essa banda pra me fazer sair em pleno sábado totalmente jogado e dedicado à preguiça, onde eu poderia ficar em casa fazendo outra das cosias que mais me dão prazer; a leitura. Saí fora, fui ver a Dago Red que tocou durante uma hora no BNB do centro.

No repertório as músicas muitos boas do mais recente lançamento da banda “Spiritual Bread Shop”, disco com 10 pedradas barulhentas e melodias do velho e sempre bom Punk Rock.


Roberto Bessa (Guitarra e solos) Robério Augusto (Guitarra e vocais)

Músicas como "I Feel Like Shit!", "Anguish Pills and Heart Attack" e a maravilhosa "Besid Me", sempre ganham um valor e força maior sendo ouvidas ao vivo, sem falar com as já clássicas da banda que parecem ter ganhado até nova roupagem e força durante esses tempos de banda (My Proper Place, Every Girl Needs a Gun, All Lovers Must Die, Mariane, Teddy Bears and Flies), e a Dago Red neste 2010 completa 18 anos de boa música e ótimos serviços prestados à este Rock cearense e brasileiro.

Tiago Vaaaaaaaaaaaaz!


RESSUSCITANDO POETAS MORTOS


A Dead Poets foi uma das bandas importantes da cena musical de Fortaleza, quando ainda não havia uma cena musical. Talvez as pessoas não quisessem que tivesse, talvez ela simplesmente não existisse. Mas isso já faz certo tempo, foi antes de mim, se bem que peguei o final de uma ótima cena que dizia não ser cena. De toda forma, a Dead Poets teve grande importância para o Rock cearense, sempre com músicas bem inspiradas que influenciaram outras bandas. A banda Dago Red, uma de minhas bandas prediletas, resolveu fazer tributo aos Poets neste dia 19 de novembro próximo no Acervo Imaginário, quando irão comemorar 18 anos de ótimos serviços ao Rock and Roll. Não gosto mais de ir a festas ou shows noturnos, mas pensar e ver a energia ao vivo da Dago Red até que me faz pensar no assunto.

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

WOODY ALLEN NA VILA DAS ARTES.

Recebi este e-mail da Vila das Artes falando da mostra de filmes de Woody Allen que irá acontecer neste mês de novembro até o próximo, com os filmes mais recentes de 96 pra cá. Uma boa dica até pra mim que deixei alguns destes passar. Vai aí à mensagem:

Terceira e última parte da Mostra Woody Allen vai até dezembro

A terceira e última parte da Mostra “Woody Allen – Por ele Mesmo” será exibida em novembro e na primeira semana de dezembro na Vila das Artes. Cineasta, roteirista e músico, Allen é um artista de mil facetas, é polêmico, amado e odiado. Dono de uma rica biografia, expressa em seus filmes as várias cidades imaginárias que dialogam com a poesia, os desejos, os relacionamentos e as paranóias da vida urbana. A Vila das Artes, que já exibiu gratuitamente, em duas outras mostras, filmes do cineasta desde o início de sua carreira, na década de 1970, traz agora doze obras produzidas entre 1999 a 2009. A programação incluí ainda o documentário musical Wild Man Blues – Woody Allen In Concert, que traz a turnê de Allen e sua banda pela Europa em 1996. As sessões acontecem as quintas e sextas, a partir das 18h30 e são sempre seguidas de debate após o filme.


Programação

:: Novembro
Dia 05 - Trapaceiros (2000)
Dia 11 - O Escorpião de Jade (2001)
Dia 12 - Dirigindo no Escuro (2002)
Dia 18 - Igual a Tudo na Vida (2003)
Dia 19 - Melinda e Melinda (2004)
Dia 25 - Match Point (2005)
Dia 26 - Scoop - O Grande Furo (2006)

:: Dezembro

Dia 02 - O Sonho de Cassandra (2007)
Dia 03 - Vicky Cristina Barcelona (2008)

Dia 09 - Tudo Pode dar Certo (2009)

Dia 10 - Wild Man Blues – Woody Allen In Concert (Turnê de Woody Allen e Banda na Europa em 1996)

Também nas quartas-feiras terão seções sobre cinema daqui da terra, como nomes que infelizmente desconheço, e que ainda me ficarão desconhecidos já que não poderei ir. Mas quem for, vá, que pode valer a pena. Tudo de graça.


Programação:

Dia 10/11

"Supermemórias" (Doc, 20 min, 2010), de Danilo Carvalho.

"Casa da Vovó" (Doc, 24 min, 2008), de Vitor de Melo.

A Curva” (ficção 5’, VHS e DV, 1990-2007), de Salomão Santana.

"A Amiga Americana" (Ficção, 19 min, 2009), de Ricardo Pretti e Ivo Lopes.

Mulher Biônica” (2008, 19min, cor, ficção), de Armando Praça.

Dia 17/11

"As Corujas" (Ficção, 20 min, 2009), de Fred Benevides.

"Perto Demais" (Doc, 15 min, 2010),de Rúbia Mércia

Espuma e Osso" (Ficção, 20 min, 2007),de Guto Parente e Ticiano Monteiro.

"Longa Vida ao Cinema Cearense" (Ficção, 12 min, 2008). Direção de Irmãos Pretti.

"Vista Mar" (Doc, 12 min, 2009). De Pedro Diógenes, Rúbia Mércia, Rodrigo Capistrano, Claugeane Costa, Vitor Furtado e Henrique Leão.

Dia 24/11

"O Regresso de Ulisses" (Vídeo-dança, 20 min, 2008). De Alexandre Veras.

"Vilas Volantes - o verbo contra o vento" (Doc, 52 min, 2005). De Alexandre Veras.


Dia 01/12

"Uma Encruzilhada Aprazível" (Doc, 52 min, 2007). De Ruy Vasconcelos.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

ANJOS TERRÍVEIS.


Música feita com brinquedos? Brincando de fazer música? Não sei, só que foi descoberta tardia essa minha à CocoRosie, essa dupla de irmãs que fazem música dês dos anos 90 e que só me chegaram aqui agora neste final de 2010. “Antes tarde do que mais tarde ainda”, diria minha colega Fernanda. É verdade.

Formada no final dos anos 90, as irmãs não são a banda toda, mas acabam ganhando o crédito todo quando pensamos na música feita por elas. Misturando ritmos e influências, Folk, Pop, experimentalismo, ópera e até rap.

No momento estou escutando La Maison De Mon Revê, um disco estranho na primeira audição, mas que mesmo assim, dês de primeira já deixa uma vontade de ouvir outras vezes, ganhando com as melodias e violões harmoniosos cantados e tocadas com certa melancolia.

Para quem gosta das experimentações de BJork e da melancolia de Cat Power, pode ir sem medo escutar o som dar irmãs Bianca Leilani e Sierra Rose que vai ser bom. Para quem gosta de cantoras autorais, estranhas e com coragem de fazer seu som a seu modo, para quem gosta de experimentalismos, para quem gosta de música. Para quem tem dois ouvidos e procura sempre mantê-los limpos, CocoRosie é boa pedida.

Não costumo fazer muito isso, mas vai aqui o link para baixar pelo Mediafire o disco La Maison De Mon Revê da dupla Cocorosie.